Super Food Saúde

Perguntas frequentes

Tudo o que você precisa saber

O que é a doença celíaca?

A doença celíaca é uma reação do sistema imunológico ao glúten, proteína encontrada em cereais como o trigo, o centeio, a cevada e o malte.  
O organismo do celíaco não possui uma enzima responsável pela quebra do glúten, assim, a proteína não é processada pelo corpo, desencadeando uma reação do sistema imunológico. Sendo assim, caracteriza uma doença autoimune.
A doença autoimune pode desencadear lesões que prejudicam o funcionamento do órgão (nesse caso do intestino delgado). Como também, prejudica a absorção de nutrientes, visto que a proteína do glúten causa um desgaste nos cílios do nosso intestino, que são responsáveis pela absorção dos nutrientes.

Quais os sintomas da doença celíaca?

  •  Inchaço da barriga 

  •  Gases

  •  Prisão de ventre

  •  Ânsia de vômito 

  •  Diarreia

  •  Irritabilidade

  •  Perda de peso 

  •  Lesões na pele

  •  Queda de cabelo

  •  Sangramento das gengivas ao escovar os dentes ou passar o fio dental

  •  Menstruação irregular ou ausente

Observação: Apenas a apresentação dos sintomas não caracteriza que você possui a doença, é necessário a realização de alguns exames complementares, como por exemplo a endoscopia. Caso você apresente a maioria desses sintomas nós recomendamos que procure um gastroenterologista.

Como é feito o diagnóstico da doença?

O diagnóstico da doença celíaca é feito pelo gastroenterologista por meio da avaliação dos sintomas apresentados pelo paciente, bem como a análise do seu histórico familiar, já que a doença celíaca tem causa principalmente genética. 
Além da avaliação clínica, o médico poderá solicitar a realização de alguns exames, como por exemplo: exame de sangue de rotina, exame genético para mapeamento do gene HLA classe II - que também é feito pelo sangue. Além desses, exames de urina, fezes e uma biópsia do intestino delgado através de uma endoscopia digestiva alta. Para confirmar a doença, o médico poderá solicitar ainda a realização de uma segunda biópsia do intestino delgado e do duodeno.

Qual o tratamento para doença celíaca?

A doença celíaca por ser autoimune não tem cura, devendo o tratamento ser feito durante toda a vida. O tratamento para a doença celíaca é feito único e exclusivamente com a suspensão do contato com o glúten, por meio da dieta livre de glúten e da contaminação da cruzada.

O que é contaminação cruzada?

O termo contaminação cruzada é usado para dizer que um alimento sem glúten foi exposto a outro que contém glúten ou contaminado pelos utensílios, o que o torna impróprio para pessoas com doença celíaca, mas não para os intolerantes. Existem muitas formas de contaminação cruzada: em casa, em restaurantes e outros locais de serviços de alimentação.
Existe até um risco de contaminação cruzada antes que os ingredientes cheguem à cozinha, como durante os processos de plantio e fabricação. A principal forma de contaminação cruzada acontece pela utilização de utensílios que já foram expostos ao glúten, por isso é muito importante ler os rótulos e se possível verificar com a empresa que fornece o produto se ele é livre de contaminação cruzada, para ter certeza que não possui glúten.

Qual a diferença entre Doença celíaca, intolerância e alergia ao glúten?

DOENÇA CELÍACA - São pessoas que geneticamente que possuem o antígeno de incompatibilidade do HLA DQ8 positivo, uma condição genética de quem é sensível ao glúten, ou seja, elas não metabolizam esse composto, fator que causa uma reação inflamatória persistente no corpo. Para este grupo de pacientes, o tratamento é evitar totalmente a proteína do glúten.

ALERGIA  - Têm os sintomas que chamamos de alérgicos podendo ocasionar: urticária cutânea, dermatite atópica, dermatite de contato, asma, rinite, sinusite e otite. Além dessas, existe outras doenças inflamatórias chamadas de Síndrome do cólon irritável e disbiose. Sendo assim, o paciente que tem o quadro clínico de alergia sempre irá apresentar algum sintoma, portanto é necessário que o ele busque um especialista, visto que os sintomas da alergia e da intolerância são muito próximos, porém com mecanismos imunológicos diferentes.
Portanto, para o diagnóstico correto necessita-se de um médico especialista, nesse caso seria o alergologista, sendo de 

fundamental importância que o médico realize a pesquisa do histórico clínico do paciente. Além disso, realize testes cutâneos acompanhados de testes laboratoriais, que são eles respectivamente o IgE e o RAST (que é o mais comum).

INTOLERÂNCIA - A intolerância ao glúten, também conhecida como sensibilidade ao glúten não-celíaca, é uma condição crônica, caracterizada pela alergia a produtos à base de trigo, cevada e centeio. Por apresentar sintomas como inflamação intestinal, inchaços e erupções cutâneas, muitas vezes ela é confundida com a doença celíaca ou com a alergia ao trigo. Ainda sim ela é considerada uma doença sem muita gravidade.

Quais doenças o glúten pode causar?

Transtornos relacionados ao glúten:  a doença celíaca (DC), a alergia ao trigo (AT), a sensibilidade ao glúten não celíaca (SGNC), síndrome de intolerância ao trigo (SIT), estas são consideradas patologias atribuídas ao glúten, sendo investigadas e avaliadas individualmente por um médico gastroenterologista, pois cada uma tem causa e sintomas distintos.

Quem pode retirar o glúten?

Nutricionistas explicam que não existem efeitos colaterais ou malefícios em adotar uma dieta sem glúten. “O glúten é uma proteína de baixo valor nutricional, portanto ao excluí-la, a pessoa não apresentará déficit na alimentação. Porém, é sempre importante que, qualquer mudança ou restrição alimentar seja, acompanhada por um nutricionista, já que cada pessoa tem necessidades específicas”- Luiza Carvalho.
É sempre bom buscar por alimentos sem glúten que possuam ingredientes nutricionalmente interessantes, por exemplo, com adição de fibras, e sem aditivos artificiais, como conservantes, aromatizantes e corantes. É sempre bom lembrar que retirar glúten não tem nenhuma relação com perda de peso.  “A perda de peso não depende exclusivamente do glúten, mas sim das escolhas alimentares realizadas".

Quais os benefícios de retirar o glúten?

Retirar o glúten da dieta pode reduzir o grau de inflamação do organismo, o que significa, em outras palavras, que o metabolismo irá retomar o seu ritmo normal.

Como também, favorece indiretamente a perda de peso (especialmente na região abdominal), visto que reduz as retenções de líquido, diminui o apetite e promove a diminuição da compulsão. Além disso, combate a obesidade, pois sem a camada de glúten que envolve o intestino delgado, o corpo poderá absorver corretamente os nutrientes que são ingeridos. 
Sendo assim, uma combinação perfeita para garantir bem-estar e qualidade de vida, afinal, você aprende a escolher melhor os alimentos, que contribuirá para você ter um estilo de vida mais saudável